Highslide for Wordpress Plugin

Vocação paterna: confiança em tempos de tribulações

Foto: Imagem Internet

 

Quando fui convidado a escrever este texto, eu estava participando de uma entrevista de emprego. No momento em que esperava uma resposta, após os testes realizados e a entrevista feita, estava numa sala fechada, sem ninguém por perto e na ansiedade de saber se havia passado ou não. Aproveitei e olhei meu celular que havia acabado de vibrar, sinalizando entrada de nova mensagem.

Fiquei imaginando o que eu poderia escrever sobre o dia dos pais. Talvez frases prontas do tipo: “Todo pai é um herói” ou “Papai hoje é seu dia” ou “A exemplo de São José…”. Mas não adiantou. É impossível nos dias atuais imaginar uma figura paterna que, mesmo em meio às tribulações, não esteja consciente da sua missão e vocação.

O Papa Francisco no parágrafo 55 da Exortação Apostólica Amoris Laetitia nos exorta: “Ao homem cabe um papel igualmente decisivo na vida da família, com particular referência à proteção e ao sustento da esposa e dos filhos”. Além disso, o Santo Padre alerta sobre a gravidade da falta da figura paterna: “A sua ausência pode ser física, afetiva, cognitiva e espiritual.  Esta carência priva os filhos de um modelo adequado do comportamento paterno”.

Quero aqui falar a você, pai, que ainda não entendeu sua missão. Não adianta achar que somente o seu trabalho será suficiente para prover o sustento de sua casa. Neste momento em minha vida, que me encontro desempregado, pude perceber de modo especial na vida das minhas filhas que estar presente é o maior presente que podemos dar e receber. Pude perceber a alegria delas em passar mais tempo em casa e compartilhar alguns momentos, desde acordarem logo cedo e eu levá-las e buscá-las da escola até separar as brigas para que uma possa assistir aquele filme, que já vimos 8 vezes na semana, e convencer de que é a vez da irmã ver seu programa predileto. Conversar e ensinar que quando se está com fome não é hora de comer bolacha e sim coisas saudáveis, e ao sentarmos juntos na mesa, rezarmos e agradecer pelo alimento recebido. Enfim, é um tempo novo e, sobretudo, mesmo com a dificuldade atual, por em prática aquilo que pregamos e testemunharmos que “a nossa confiança está no nome do Senhor!”

Pais, assumam com alegria sua missão. Não tenham medo, pois é o próprio Senhor quem nos sustentará, conforme canta o salmista (Salmo 53,6). E desta forma, poderemos ensinar aos nossos filhos que, mesmo na tempestade e mesmo que se agite o mar, devemos manter a fé e a esperança. A vocação paterna é uma missão dada a Deus a cada um de nós e Ele nos capacitará a todo tempo com sua Sabedoria, no educar e no sustentar de nossos filhos. Não desista desta missão tão linda, pois os que confiam no Senhor não se abalam! Rezemos: “Senhor, eu Te louvo e Te agradeço, porque sei que o Senhor cuida de nós.”

 

Feliz Dia dos Pais com total confiança no Senhor!

Wilson Chagas – Coordenador Diocesano da Pastoral Familiar
Casado com Ângela Cristina (Tina)
Pai de Júlia e Mariana (2 presentes de Deus)