Highslide for Wordpress Plugin

Testemunho de Fé: crianças na Missa, celebrar para servir a Deus

Foto: Primeira Missa das Crianças de 2019, com a bênção das mochilas, presidida por Frei Gutemberg da Silva Santos - Paróquia Nossa Senhora de Fátima (Cotia).

“Deixai vir a mim as crianças, não as impeçais, pois o Reino dos céus pertence aos que se tornam semelhantes a elas”. Mt 19,14

“A Eucaristia é a fonte e ápice da vida cristã”, segundo o Concílio Vaticano II. Por isso, é importante os pais incentivarem seus filhos a participarem da Santa Missa, desde a mais tenra idade, mesmo que ainda não entendam a importância desse Sacramento. Na Diocese de Osasco, não são poucas as igrejas que adotam a chamada “Missa das Crianças”, um momento especial no qual os pequenos se sentem acolhidos e participantes ativos da fé católica junto com as suas famílias.

É na Santa Missa destinada às crianças e suas famílias, na Paróquia Santo Antônio, da Granja Viana em Cotia, que os pequenos católicos participam ativamente desse momento sagrado: desde a procissão de entrada, fazendo as leituras e preces, na função de coroinhas ou, simplesmente, como ouvintes. “Participando das Missas desde pequenos, é que as crianças aprendem a desenvolver hábitos e valores como disciplina, firmeza, limites e respeito”, afirmou Roberto de Campos Damião, pai de Clara Nanni Damião, de cinco anos, que frequenta as santas Missas desde os primeiros meses de vida. A iniciação à oração, liturgia e vida comunitária, são ações que devem ser incentivadas pelas famílias. “Nem sempre é uma tarefa fácil para os pais lidarem com momentos de impaciência das crianças dentro da igreja, mas em longo prazo é muito gratificante ver que elas prestam atenção nos ensinamentos de Jesus e os levam para a vida toda, disseminando a Palavra de Deus”, afirmou Roberto.

Conselhos do Papa Francisco para continuarmos indo à Missa com nossas crianças:

1.O que fazer quando a criança chora? “O choro da criança é a voz de Deus, é a melhor oração”, afirma o Papa Francisco. Disse que, quando alguém fica incomodado ao ver uma criança chorando na igreja e pede para retirá-la, está apagando a voz de Deus. “As crianças choram, fazem barulho em todos os lugares. Mas nunca podemos expulsar as crianças que choram na igreja”, completa. Afinal, o pedido de Jesus é claro: “Deixem as crianças virem a mim”.

2.O que fazer quando a criança sentir fome? “Amamente-os, não se preocupem”, ensina. Muitas mães ficam constrangidas diante da necessidade de alimentar seus filhos. “Vocês mães dão leite às suas crianças e, mesmo agora, se eles chorarem por estarem com fome, amamente-os, não se preocupem”, disse o Papa em uma celebração na Capela Sistina. Nesses momentos, rezem por tantas mães pobres do mundo que não conseguem alimentar sua família.

3.Como ensinar as crianças? O Santo Padre recorda que tudo depende da atitude que temos para com as crianças. Francisco questiona se o que se ensina às crianças com as palavras é vivido por quem transmite a fé. “Com as palavras não serve… Hoje, as palavras não servem! Neste mundo da imagem, todos estes têm telefone e as palavras não servem… Exemplo! Exemplo!”, exorta o Papa.

4.Como deve ser a oração das crianças? “Rezem ao Senhor, rezem à Nossa Senhora, para que ajudem vocês neste caminho da verdade e do amor. ‘Vocês entenderam? Vocês vieram aqui para ver Jesus, de acordo? Ou deixamos Jesus de lado?’ (As crianças respondem: ‘não!’). Agora, Jesus vem ao altar. E todos nós O veremos! Neste momento, devemos pedir a Ele que nos ensine a caminhar na verdade e no amor”, ensina Francisco.

5.Coração das crianças: lugar de oração O Papa destaca ainda gestos muito delicados, como quando as mães ensinam os filhos pequenos a mandarem um beijo a Jesus ou a Nossa Senhora. Naquele momento, o coração das crianças se transforma em lugar de oração. E é um dom do Espírito Santo. Não nos esqueçamos nunca de pedir este dom para cada um de nós, porque o Espírito de Deus tem aquele seu modo especial de dizer, nos nossos corações, ‘Abá’ – ‘Pai’. Ele nos ensina a dizermos “Pai” propriamente como o dizia Jesus, um modo que nunca poderemos encontrar sozinhos.” Fonte: Canção Nova

Clara Nanni Damião, 2ª da esquerda para a direita, durante acolhida das imagens da Mãe Peregrina – Paróquia Santo Antônio (Granja Viana/Cotia). Acervo pessoal.

 

Pequenos no tamanho, grandes na missão

Os Coroinhas e Acólitos prestam um serviço valioso à Igreja, ao Sacerdote e principalmente a Deus. São eles que possuem o privilégio de servir o próprio Jesus no altar, auxiliando o padre durante a Santa Missa ou em outras celebrações litúrgicas. A Pastoral dos Coroinhas e Acólitos é considerada pela Igreja como um celeiro de vocações, pois acaba se tornando a base para os futuros pais e o início de uma vida de oração e serviço para muitos religiosos e sacerdotes que já fizeram parte desse chamado. E pensando nisso, o Serviço de Animação Vocacional (SAV) da Diocese de Osasco, tem promovido encontros diocesanos frequentemente para estimular as crianças e jovens a discernirem a sua vocação.

Já consagrou seus filhos a Nossa Senhora?

Aproveite os momentos na Santa Missa, para consagrar seus filhos a Nossa Senhora. Entregá-los aos cuidados Dela, é confiar na Sua total proteção e é um verdadeiro ato de fé e amor porque Ela nunca abandona, descuida ou despreza o filho que lhe foi consagrado.

Dani Nanni – Redação BIO

Fonte: BIO - Boletim Informativo de Osasco