Highslide for Wordpress Plugin

Diocese de Osasco

Últimas Notícias

Paroquias ‘São João Batista’ e ‘São Pedro e São Paulo’ realizam peregrinação a Porta Santa

No domingo, 16 de Outubro, as paróquias São Pedro e São Paulo de Carapicuíba, São João Batista de Barueri e também a comunidade Frater Kerigma realizaram suas peregrinações a Porta Santa da Misericórdia da Catedral Santo Antônio em Osasco.

Os fiéis se concentraram na praça Duque de Caxias para a reza do Santo Terço conduzida pelo padre Márcio Messias e pelo diácono Cleyton, quando às 14h45 em procissão caminharam até a entrada da Catedral para oração e passagem pela Porta Santa da Misericórdia.

Logo após passarem pela Porta Santa foi celebrada Santa Missa presidida pelo Pe. Márcio Messias Cardoso e concelebrada pelo Pe. Carlos Eduardo, contou ainda com o auxilio do Diácono Cleyton Torres.

Durante a homília padre Carlos Eduardo citou a encíclica “Dives in Misericordia” do Papa João Paulo II que fala da misericórdia de Deus, um Deus fiel a suas promessas mesmo quando o abandonamos, estando sempre disposto a nos perdoar e resgatar.

E ainda lembrou o que fala o Papa Francisco na bula de proclamação do ano da misericórdia, que Jesus Cristo é o rosto da Divina Misericórdia do Pai. Acrescentou que para olhar a misericórdia de Deus para com o homem pecador, basta abrir o evangelho e ver como Jesus trata cada pessoa, como cada pessoa é única para ele.

Sobre a passagem pela porta Santa da Misericórdia o sacerdote disse que o Senhor quer que seja um momento de renovação da fé no perdão de Deus, na divina misericórdia e na oração, momento de beber de todas as graças através das indulgências que cada um pode lucrar se confessando uma semana antes ou depois da peregrinação, rezando um pai nosso e o credo pelo papa e comungando.

Disse ainda que passar pela Porta Santa significa: “Sim Senhor, eu quero a cada dia lutar para corrigir a minha vida, me educar, me corrigir. Eu quero lutar para ser um cristão qualificado para uma boa obra”. E completou dizendo que deve-se experimentar esse perdão e ser misericordioso como o Pai, praticando as obras de misericórdia, sendo instrumentos de Deus neste mundo.

Finalizando padre Carlos, que esteve na Assembléia das Igrejas, contou que estiveram reunidos meditando sobre a família, que a família não é missão só de uma pastoral na Igreja, da Pastoral Familiar ou ECC. Mas deve ser preocupação de todos, pois são e vieram de uma família. E rezou: “Senhor ouve nosso clamor, vinde em socorro da sua Igreja, vinde em socorro das famílias que tanto necessitam da sua misercórdia”.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X