Highslide for Wordpress Plugin

Missa histórica com o Papa reúne católicos e muçulmanos

Foto: AFP or licensors

Foi a primeira missa de um Pontífice celebrada na Península Arábica. A celebração, presidida pelo Papa Francisco, reuniu católicos de cem nacionalidades, sobretudo imigrantes que vivem nos Emirados Árabes, além de quatro mil muçulmanos.

Nesta terça-feira (5), no último compromisso da viagem apostólica aos Emirados Árabes Unidos, o Papa Francisco presidiu uma missa à comunidade católica no maior estádio do país, o Zayed, em Abu Dhabi. Os fiéis lotaram inclusive os arredores, dentro da cidade esportiva, como um ginásio que também recebeu telão.

Na sua maioria, a assembleia era formada por imigrantes, em especial, asiáticos e filipinos, que se encontram no país por motivos de trabalho. Segundo a imprensa internacional, porém, a multidão multiétnica reuniu católicos de cem nacionalidades. Além deles, estavam presentes quatro mil muçulmanos.

Primeira missa de um Papa

Na homilia da missa, a primeira de um Pontífice celebrada na Península Arábica, o Papa tratou das Bem-Aventuranças como sendo “um mapa da nossa vida” e, ao aprofundar aquela sobre «Felizes os pacificadores» (Mt 5, 9), Francisco incentivou a promoção da paz, começando pela comunidade onde vivemos.

“Para vocês, peço a graça de preservar a paz, a unidade, de cuidar uns dos outros numa bela fraternidade, onde não haja cristãos de primeira classe e de segunda. Jesus, que lhes chama «felizes», conceda a graça de caminharem sempre diante sem se desencorajar, crescendo no amor «uns para com os outros e para com todos» (1 Ts 3, 12).”

A alegria e o agradecimento de Francisco

Na saudação ao final da celebração, acompanhada por 135 mil pessoas dentro e fora do estádio, o Papa Francisco agradeceu a alegria vivida no estádio Zayed e a pessoa de Dom Paul Hinder, vigário apostólico na Península Arábica, pela preparação da visita e trabalho pastoral.

“ Um “obrigado” caloroso aos Patriarcas, Arcebispos-Maiores e outros Bispos presentes, aos sacerdotes, às pessoas consagradas e aos numerosos leigos empenhados, com generosidade e espírito de serviço, nas comunidades e a favor dos mais pobres. Que a nossa Mãe, Maria Santíssima, vos guarde no amor à Igreja e no jubiloso testemunho do Evangelho. ”

Fonte: Rádio Vaticano