Highslide for Wordpress Plugin

Agosto, o mês dedicado às vocações

Foto: Imagem Internet

Não fostes vós que me escolhestes; fui eu que vos escolhi” (Jo 15,16)

Neste mês, a Igreja celebra as vocações: sacerdotal, familiar, religiosa e leiga. É o momento de se voltar para a reflexão e a oração pelas vocações e os ministérios, de forma a pedir a Deus sacerdotes que sejam verdadeiros pastores e sinais de comunhão e unidade no seio da Igreja.

Instituído na 19ª Assembleia Geral da CNBB em 1981, o Mês Vocacional tem como objetivo conscientizar as comunidades da responsabilidade que elas compartilham no processo vocacional. Desta forma, cada semana do mês de agosto é reservado para a reflexão e celebração de uma determinada vocação.

Segundo dom Jaime Spengler – presidente da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da CNBB – “quando falamos de vocação ou de cultura vocacional, quase sempre temos em mente os ministérios ordenados ou a vida consagrada. Na verdade, trata-se de uma compreensão muito mais ampla da questão. Precisamos que nas diversas dimensões da vida social existam pessoas leigas, comprometidas com a fé, dispostas a cooperar em construir um mundo um pouco melhor para as futuras gerações”.

Primeira Semana – Vocações Sacerdotais
“Dar-vos-ei pastores segundo o Meu coração” (Jer 3, 15)

Com estas palavras do profeta Jeremias, Deus promete ao seu povo que jamais o deixará privado de pastores que o reúnam e guiem: “Eu estabelecerei para elas (as minhas ovelhas) pastores, que as apascentarão, de sorte que não mais deverão temer ou amedrontar-se” (Jer 23, 4).

O sacerdote age em nome de Cristo e é seu representante dentro daquela comunidade. Ao padre compete ser pastor e pai espiritual para todos que estão sob sua responsabilidade. Pela caridade pastoral, ele deve buscar ser sinal de unidade e contribuir para a edificação e crescimento da comunidade de forma que ela se torne cada vez mais atuante e verdadeira na vivência do Evangelho.

 “Penso que quando respondi ao chamado de Deus em minha vida, abandonei o complexo de vira-latas, e recebi o pedigree, que o Sangue de Jesus me alcançou na Cruz. Vocação é descobrir que este mundo tem jeito, pois é Deus quem governa tudo. Coragem!”.

Pe. Rodrigo Silva Pereira – Paróquia Nossa Senhora Aparecida/ Padroeira II – Osasco

 

Segunda Semana – Vocação Familiar 

Em tempos de violência e perda de valores, a valorização da família é essencial para a sociedade como um todo. A família é chamada, por Deus, a ser testemunha do amor e da fraternidade, colaboradora da obra da Criação.

O pai na família é fundamental. Seu papel de educador, em colaboração com a mãe, é um dos pilares da unidade e bem-estar familiar, cujos frutos são filhos bem formados e conscientes do que significa ser cristão e cidadão. O pai é representante legítimo de Deus perante os filhos e é sua missão conduzi-los nos caminhos de Cristo, da verdade, da justiça e da paz. Cabe aos pais que o amor, compaixão e harmonia reinem no lar.

“Vocação familiar é onde temos a oportunidade de partilharmos o amor, a união, o respeito e a cumplicidade para nos fortalecer no amor de Cristo. É na família onde aprendemos o significado de se doar, é quando se convida Deus para fazer parte da nossa vida, o Espírito Santo para conduzi-la e Jesus para orientá-la no caminho da salvação”.

Casal Clodoaldo da Silva e Eliane Vieira – Comunidade Santa Luzia – Osasco

 

Terceira Semana – Vocações Religiosas 

Homens e mulheres que consagraram suas vidas a Deus e ao próximo são lembrados e homenageados na terceira semana do mês de agosto. Desta vocação brotam carismas e atuações que enriquecem nossas comunidades com pessoas que buscam viver verdadeiramente seus votos de castidade, obediência e pobreza. São testemunhos vivos do Evangelho.

Perseverantes, os religiosos estão a serviço do Povo de Deus por meio da oração, das missões, da educação e das obras de caridade. Com sua vida consagrada, eles demonstram que a vida evangélica é plenamente possível de ser vivida, mesmo em um mundo excessivamente material e consumista. São sinais do amor de Deus e da entrega que o homem é capaz de fazer ao Senhor.

“Vocação é a marca autêntica

do amor a Deus e ao próximo”.

Irmã Rita Ribeiro dos Santos
Instituto Coração de Jesus/Serviam – Osasco.

 

 

 

Quarta Semana – Vocações Leigas

Na última semana de agosto são celebradas as vocações leigas. Os leigos que, entre família e afazeres, dedicam-se aos trabalhos pastorais e também missionários. Atuam como colaboradores dos padres na catequese, na liturgia, nos ministérios de música, nas obras de caridade e nas diversas pastorais existentes.

Ser leigo atuante é ter consciência do chamado de Deus a participar ativamente da Igreja e do Reino contribuindo para a caminhada e o crescimento das comunidades rumo à Pátria Celeste. Assumir esta vocação é doar-se pelo Evangelho e estar junto a Cristo em sua missão de salvação e redenção.

Nesse sentido, os catequistas são, por vocação e missão, os grandes promovedores da fé na comunidade cristã preparando crianças, jovens e adultos não só para os sacramentos, mas também para darem testemunho de Cristo e do Evangelho no mundo.

                                          “Vocação é ecoar a Palavra
de Deus para todas as criaturas”.

                                     Gisele Oliveira de Souza
Catequista na Comunidade Jesus Operário –

Osasco

 

 

 

“O Senhor continua hoje a chamar para O seguir. Não temos de esperar que sejamos perfeitos para dar como resposta o nosso generoso ‘eis-me aqui’, nem nos assustar com as nossas limitações e pecados, mas acolher a voz do Senhor com coração aberto” (Papa Francisco – abril de 2018).

E você? Qual é o seu chamado?

Fontes: Sites Canção Nova e A12

Fonte: Dani Nanni - BIO (Boletim Informativo de Osasco)