Highslide for Wordpress Plugin

Igreja abraça Brumadinho

Foto: Paroquianos da Paróquia Sagrado Coração de Jesus participaram da ação solidária em favor de Brumadinho

Uma barragem da mineradora Vale se rompeu no dia 25 de janeiro de 2019, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O rompimento ocorreu no início da tarde, na Mina Feijão. Os rejeitos atingiram a área administrativa da companhia, inclusive um refeitório, e parte da comunidade da Vila Ferteco. A lama com rejeitos de minério já percorreu mais de 100km. Muitas ações sociais foram organizadas para amenizar o drama das pessoas que foram atingidas pela tragédia.

A Paróquia Sagrado Coração de Jesus da cidade de Carapicuíba/ SP, pertencente à Diocese de Osasco, lançou a campanha de arrecadação: abraçando Brumadinho/MG! A ação social mobilizou a comunidade paroquial e foram arrecadados alimentos não perecíveis e itens de higiene pessoal para as vítimas. Ao chegarem na cidade, no dia 31 de janeiro, o Padre Othoniel e alguns paroquianos testemunharam a tristeza que tomou conta do povo de Brumadinho, mas ao mesmo tempo sentiram a consoladora alegria, que dá forças para recomeçar, com a onda de solidariedade.

Pe. Othoniel (camiseta vermelha) é pároco da Paróquia Sagrado Coração de Jesus

Segundo o Padre Othoniel, a comitiva da paróquia de nossa diocese foi recebida pelo vigário da Paróquia São Sebastião que afirmou estar buscando forças em Cristo para consolar as famílias: “às vezes me faltam palavras, mas não me falta coragem”. Em um dos velórios uma mãe que se despedia de seu filho disse: “não consigo chorar sabendo que algumas mães não têm notícias de seus filhos [ainda há 182 desaparecidos]. A Igreja não nos abandonou e nem vai nos abandonar”.

O reitor da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, professor Dom Joaquim Giovani Mol Guimarães, denunciou em artigo publicado pela Agência de Notícias Fides no dia 07 de fevereiro, que o rompimento da barragem em Brumadinho não foi um acidente, “foi um crime ambiental e um homicídio coletivo. […] Quase mataram também a esperança, a fé, a dignidade e o amor das pessoas que sobraram, agora terrível e indescritivelmente sofridas, mas em processo curativo, em reconstrução, soerguimento, revitalização e retomada de posse de sua brava dignidade. Como não há uma empresa mineradora em abstrato, as pessoas que nela atuam e têm responsabilidade sobre esta tragédia devem ser rigorosamente punidas, para que, juntamente com a mineradora, não caiam em desgraça também os que exercem os poderes acima citados [executivo, legislativo e judiciário] e já tão pouco acreditados”.

“A lama da Vale não poderá ser lembrada como um acidente, mas como um crime com perdas irreparáveis. Diante de tudo o que testemunhei espero que a solidariedade e a união dos Brumadenses prevaleçam. Agradeço a Sra. Clarisse Aguiar e a todos que contribuíram com a nossa campanha ‘Abraçando Brumadinho’”, finalizou Padre Othoniel.

Números da tragédia (até o momento):
157 mortes foram confirmadas
134 identificados
182 desaparecidos
192 resgatados
393 localizados

Fonte: Redação BIO – com informações Pe. Othoniel Duprat e Arquidiocese de Belo Horizonte.