Highslide for Wordpress Plugin

Diocese de Osasco

Últimas Notícias

Voz do Pastor › 07/04/2019

Eu creio num mundo novo

Um casal, de aparência simples, me cumprimentou com respeito e simpatia, na Cúria. Vieram buscar um Círio Pascal que faltou para sua comunidade, a pedido do pároco.  Vestiam a camiseta azul, com aquele conhecido emblema circular, da Pastoral Familiar. Abriram a caixa e olhavam o grande Círio para conferir se tudo estava em ordem. Admiravam o desenho, e diziam que foi uma boa ideia colocar no Círio o símbolo dos 30 anos da Diocese. Todas as comunidades vão lembrar, durante o ano inteiro, o jubileu. Perguntei se compreendiam o significado das letras e números ao redor da Cruz. O homem falou primeiro, apontando as letras: “Cristo, Ontem e Hoje, Princípio e Fim, Alfa e Ômega…” eu completei a frase lembrando a Vigília Pascal: “A Ele o Tempo e a Eternidade, a Glória e o Poder, pelos séculos sem fim”. A mulher continuou comentando os detalhes do desenho. Voltou a falar do símbolo dos 30 anos da Diocese, e comentou: “Estamos vivendo tempos tão difíceis, tantas notícias ruins, no mundo e até na Igreja. Saber que a Cristo pertence o tempo e a eternidade, nos faz olhar o futuro com mais esperança. Vamos vencer com Ele”, concluiu.

O casal se foi e eu fiquei admirado com o que ouvi. Soube depois que eram ministros e ela catequista em sua Paróquia. Fizeram o curso de Teologia Pastoral, nos sábados. Com aquela simplicidade, vejo que eles são dessa nova leva de leigos que investiram na própria fé, estão sintonizados com sua Igreja, que tem a camisa da Pastoral, preocupados com a realidade atual, mas esperançosos e atentos aos sinais de Deus.

A catequista falava de um tempo difícil. De fato, desde o início do ano, quantas mortes: as vítimas de Brumadinho, os jovens atletas do Flamengo, atentados em templos, explosões de veículos, enchentes com perdas de bens e de vidas, agora um ciclone na África com milhares de mortos, crianças e jovens inocentes mortos de forma premeditada e cruel, e a própria Igreja vendo figuras respeitáveis sendo levadas aos cárceres, a insegurança política e econômica, os desvios, as corrupções, a cada momento uma notícia ruim. As tragédias da natureza se juntam com o descaso de uns e maldade de outros, e produzem mortes, crimes, mentiras. E nós, para onde vamos? Onde buscar remédio para as esperanças perdidas?

Olho para os 30 anos da Diocese estampados no Círio. São anos de ampla vitória em Cristo. Nestes trinta anos as comunidades se multiplicaram. O número de padres cresceu, organizou-se melhor o trabalho da catequese, os leigos se tornaram mais atuantes. Quase não havia jovens nas igrejas, hoje eles estão presentes em grande número e diferentes cores. Os leigos e leigas estão mais instruídos e comprometidos com sua fé. As paróquias, hoje são mais numerosas, o que facilita o encontro com o sacerdote com mais celebrações, confissões, e boa preparação para os sacramentos. Muitos adultos redescobrem o caminho de Cristo e perfazem o itinerário de iniciação. Claro, nem tudo é perfeito. Temos que crescer mais nas frentes missionárias, a vida litúrgica não veio sempre acompanhada do compromisso social, muitos jovens e crianças não recebem ainda o bom exemplo dos pais. Mas são 30 anos de vida diocesana, santificando, animando, iluminando a vida do nosso povo.

Volto a olhar para o belo desenho do círio: “Por suas chagas… suas chagas gloriosas…o Cristo Senhor… nos proteja… e nos guarde. Amém.” Vamos repetir estas palavras na Vigília Pascal. As chagas de Cristo estão vivas no corpo da humanidade.  Vamos na Quinta feira Santa, na Última Ceia, aprender a lavar os pés uns dos outros; na Sexta, vamos carregar com Cristo a Cruz; no Sábado à noite, fazer ecoar o forte Aleluia! O Senhor ressuscitou! A vida venceu a morte. A Páscoa não é um fato do passado. O ressuscitado vive e está conosco. Por mais difíceis que sejam os dias atuais, estamos seguros de que o caminho aberto pela Páscoa seguirá em frente, pois, Ele é o Senhor do Tempo e da Eternidade.

 Não creio que a Páscoa vai resolver de pronto as nossas mazelas, ou nos fazer esquecer os desafios que temos de enfrentar. A Páscoa é a salvação que se atualiza sempre no coração do mundo. Sua luz começou a brilhar na Noite Santa da Ressurreição, uma luz tão frágil, porém firme, como a do Círio aceso na escuridão da Vigília, mas ela vem crescendo na história humana até chegar o Reino definitivo.

Creio firmemente que quem estiver com Ele, na Paixão e na Ressurreição, estará seguro do caminho a andar, mesmo nos percalços da vida. O mundo continuará ainda sua ciranda de horrores, mas nossas comunidades, iluminadas pela luz Pascal, poderão ser oásis de paz, de verdade, de convivência fraterna, de afetos verdadeiros, de resistência à maldade, de heroísmos silenciosos, de testemunhos que vão aos poucos vencer o orgulho do mundo e suas vaidades.

Temos, não só na Páscoa, mas a partir dela, a oportunidade de continuar nos aperfeiçoando, nas nossas famílias, nos movimentos e pastorais, no meio da sociedade, onde somos convidados a plantar as sementes da fé. Teremos passado por mais uma Quaresma renovadora e estaremos abertos para a vida de ressuscitados.  O velho mundo vai dar lugar a um mundo novo, redimido. Lá sim, estaremos salvos, enfim.

Uma feliz e Santa Páscoa a todos!
Feliz comemoração dos nossos 30 anos como Diocese de Osasco
Dom João Bosco, bispo diocesano

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X