Highslide for Wordpress Plugin

Diocese de Osasco

Últimas Notícias

Destaques, Diocesanas, Notícias › 11/02/2020

Pastoral da Saúde: amor, humildade e caridade

“Estive enfermo e me visitaste […] Todas às vezes que fizestes isso ao menor dos meus irmãos, foi a mim que o fizestes”. (Mt 25, 36.40)

Solidariedade, comunidade, político-institucional. Esses são os 3 pilares em que se baseia a atuação da Pastoral da Saúde da Diocese de Osasco. Seus integrantes estão comprometidos em acolher, promover, cuidar, educar e defender a vida humana.

Como surgiu a Pastoral da Saúde?

Tudo começou em 1922, quando três religiosos Camilianos – provindos de Roma, na Itália – se estabeleceram em São Paulo. Com eles, veio o carisma de São Camilo de Lellis (1550 – 1614) de trabalhar na assistência aos doentes. Esse foi o grande marco para a missão camiliana que, finalmente, conquistou seu espaço e em menos de 10 anos, nomeou os capelães dos principais hospitais da Arquidiocese de São Paulo.

O carisma camiliano brota do próprio Evangelho de Jesus. Camilo motivava seus companheiros a cuidarem dos doentes vendo neles a pessoa do Cristo, servindo-os tal como o bom samaritano que, ao ver o homem caído no caminho, não hesita em socorrê-lo, cuidar de suas chagas e empregar seu tempo e seus bens em prol de sua recuperação.

Diante dos contextos de sofrimento, negligência e miséria presentes nos hospitais e vivenciados pelos enfermos no período de Camilo, o santo sentiu-se inspirado pelo Espírito a doar-se no cuidado incondicional dos doentes. O modo como Camilo e seu grupo serviria a Deus seria assim: entre os leitos dos hospitais, diante dos gritos de agonia e dor, curando as feridas daqueles mais pobres e que tinham a saúde mais fragilizada.

Em 9 de maio de 1986, a Pastoral da Saúde foi instituída oficialmente como uma das Pastorais Sociais da CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, sendo organismo de ação social e sociedade cívico-religiosa, organizada por tempo indeterminado e com sede itinerante (acompanha o coordenador nacional), sem fins lucrativos, legalmente constituída por Estatuto e Regimento Interno próprios.

A Pastoral da Saúde, então, foi compreendida em Aparecida (2007) como sendo, ‘‘a resposta às grandes interrogações da vida, como sofrimento e a morte, à luz da morte e ressurreição do Senhor’’.

 

Membros da Pastoral da Saúde da Comunidade Santa Luzia, em Osasco. Arquivo Pessoal.

Onde atua a Pastoral da Saúde?

A Pastoral da Saúde atua em domicílios, hospitais, asilos, creches, escolas, associações de bairro, sindicatos, conselhos de saúde, ou seja, em todo lugar que se importa com a saúde.

Segundo a Pastoral da Saúde da Diocese de Osasco, seus integrantes atuam junto aos doentes e sofredores nas instituições de saúde, nas famílias e nas comunidades. Ainda, promovem, previnem e educam para a saúde, para o saneamento básico e higiene, por meio de debates, palestras e encontros educativos. Também, atuam junto aos órgãos e instituições públicas e privadas, participando das instâncias colegiadas do Controle Social na Saúde Pública.

Em setembro de 2019, a Pastoral da Saúde Nacional realizou o 1o Encontro Nacional dos Agentes que atuam nos conselhos de saúde. A proposta foi de ampliar a integração com os Conselheiros de Saúde, Titulares e Suplentes que atuam nos Conselhos de Direito como representantes da Pastoral da Saúde, conforme propõe a Campanha da Fraternidade 2019 – “Fraternidade e Políticas Públicas”, bem como, de proporcionar subsídios para um bom encaminhamento dos trabalhos.

A iniciativa, realizada na Sede Provincial São Camilo de São Paulo, teve por objetivo formar, integrar e partilhar conhecimentos sobre os Conselhos de Saúde no fortalecimento para o Controle Social do SUS em suas três esferas.

 

Benedita coord. Pastoral da Saúde da Santa Luzia. Arquivo pessoal.

Comunidade Santa Luzia: o testemunho do Evangelho no mundo da saúde

“Nós levamos conforto aos enfermos, por meio de Jesus Cristo na Eucaristia, atendendo 20 famílias atualmente. Nos doamos para ouvi-los e levar um pouco de paz”, informou a Coordenadora da Pastoral da Saúde, senhora Benedita Maria de Lima Cabral, que atua há 25 anos na Comunidade Santa Luzia, pertencente à Paróquia São Paulo da Cruz, em Osasco.

Benedita Maria de Lima Cabral, coordenadora da Pastoral da Saúde da Comunidade Santa Luzia, de Osasco.

“A Pastoral da Saúde, para mim, é uma grande escola. São vários testemunhos de fé porque encontramos muitas situações difíceis nas quais toda a família sofre e não somente o enfermo. Cada dia nesse meu caminhar, eu só aprendi. Às vezes, a gente pensa que vai confortar a família e nós que saímos confortados tamanha é a fé das pessoas. Essa é a nossa Igreja, a nossa comunidade, que sofre, mas que não desiste. Uma comunidade que aguarda a nossa chegada para uma troca valiosa. Só tenho a agradecer a Deus por ser Ministra dos Enfermos e poder levar Jesus ao meu irmão que não pode ir até a Igreja. Sou muito grata por tudo isso”, informou a Coordenadora Benedita.

Ela continua: “é muito difícil chegar na casa das pessoas e encontrar situações nas quais você só pode pegar na mão do enfermo e rezar, além de ouvir o que ele tem para falar. Nesse momento temos que ser fortes, mas quando eu chego em casa, é ali que eu choro por me sentir impotente diante da situação. Em casa, eu me abandono em Jesus para que me dê forças para continuar nessa caminhada e poder levar a Sua Palavra e o Seu conforto. No fim das contas, é isso que importa e só tenho a agradecer. A Pastoral da Saúde é amor, humildade e caridade”.

O atendimento da Pastoral da Saúde, segundo a Coordenadora da Santa Luzia, se dá de várias formas. “Nós somos em 12 Ministros e mais 8 Agentes de Saúde que nos acompanham. Levamos a Eucaristia, conversamos, levamos o Padre para dar a Unção dos Enfermos e, na medida do possível, visitamos as famílias fora dos dias da comunhão também para levar a Palavra de Jesus Cristo”, finalizou a senhora Benedita.

 

Fontes: Pastoral da Saúde CNBB e Instituto Camiliano de Pastoral da Saúde.

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X