Highslide for Wordpress Plugin

Instituto Servidoras do Senhor e da Virgem de Matará

Nome canônico: Instituto Servidoras do Senhor e da Virgem de Matará

Fundador: Pe. Carlos Miguel Buela

Site: http://www.servidorasdelsenor.org/es

Contato vocacional: (11) 3696-8119

Casa Provincial
Estrada da Ligação, 02 – Barragem – São Paulo / SP
Tel.: (11) 5978-4232
E-mail: sec.provbrasil@servidoras.org
Provincial: Madre Maria Bonne Mere

7FE292ED-6501-4EF9-B2D2-6665B5D5C6D9

Ir. Mª Alegria dos Mártires, Madre Maria Victima Caritatis e Ir. Mª Mãe Amável

Comunidade Nossa Senhora de Fátima
Rua: Mariana Piccinin, 125 – Vila São José – Osasco / SP
CEP: 06283-170
Tel.: (11) 3696-8119
Madre local: Me. Maria Victima Caritatis
Irmãs:
Ir. Maria Mãe Amável
Ir. Maria Alegria dos Mártires

 

O Instituto Servidoras do Senhor e da Virgem de Matará (SSVM) é o ramo feminino da Família Religiosa do Verbo Encarnado. Compõe-se de irmãs tanto de vida apostólica como de vida contemplativa.

O nome “Servidoras” faz referência às mulheres fiéis que se encontravam ao pé da cruz (cf. Lc 8, 1-3), e foi usado por São Luís María Grignion de Montfort no Tratado da Verdadeira Devoção, nº 56. A segunda parte do nome “do Senhor e da Virgem de Matará” se refere a Cristo Crucificado e a sua Mãe Santíssima, que se encontram na Cruz de Matará usada pelas irmãs, já que Jesus, em Sua Cruz, e a Virgem Maria devem ser o fundamento de sua espiritualidade.

A Cruz de Matará é uma cruz esculpida em madeira por um nativo da tribo de Matará, na Argentina, evangelizada no século XVI. Os mistérios fundamentais de nossa fé estão gravados na cruz: a Criação, simbolizada pelo sol e a lua, o nascimento de Cristo, simbolizado pela Estrela do Presépio, os instrumentos da Paixão de Cristo e a Crucificação, a Eucaristia, a Santíssima Virgem Maria, representada como uma rainha espanhola, e as chamas do purgatório. É uma das mais antigas cruzes utilizadas na evangelização do Novo Mundo e, por esta razão, as Servidoras lhe têm uma grande devoção. Não só a usam como um símbolo da evangelização da cultura e de consagração total a Cristo crucificado, mas também porque o Instituto toma seu nome dela.

Pe. Buela fundou as Servidoras com o “único desejo de dar a Jesus Cristo esposas segundo o seu Coração”; é por isso que a vocação principal das religiosas é a de ser esposas de Cristo e esposas das almas, através dos votos de sua consagração, realizando, de modo especial, a sua própria feminilidade.

Com a profissão religiosa, as irmãs comprometem todas as suas forças para inculturar o Evangelho; daí a amplitude de seu apostolado, já que se empenham no anúncio da Palavra de Deus em todas suas formas: no estudo e ensino em universidades e colégios; por meio de publicações; na catequese e oratórios; por meio da realização de missões populares e exercícios espirituais; na educação e formação cristã de crianças e jovens; nas obras de caridade com os mais necessitados (crianças abandonadas, deficientes, doentes, idosos, etc).