Highslide for Wordpress Plugin

Papa João Paulo II cria a Diocese de Osasco

Foto: Missa de Instalação da Diocese de Osasco, na matriz Santo Antônio (1º de maio de 1989).

Diocese de Osasco: Rumo aos 30 anos de Evangelização

Às 16h do dia 01/05/1989, dia do trabalhador, mais de três mil pessoas – das 43 paróquias – chegaram em romaria e lotaram a Matriz Santo Antônio, agora Catedral Santo Antônio.

Iniciamos a década de 80 com o novo “layout” do Boletim Informativo da Região Episcopal, com estas palavras de Dom Francisco: “No desejo de sempre melhor comunicar, para melhor realizar comunhão e serviço, mudamos a fisionomia do nosso Boletim Informativo. Desejamos que os vários setores de pastoral e as diversas atividades de evangelização encontrem, neste instrumento de comunicação, o seu lugar comum de conhecimento mútuo, de incentivo e de compromisso apostólico”.

A década de 80 é muito especial para nossa história, pois tivemos muitos acontecimentos e um deles em especial, é a inauguração e bênção do prédio da Casa de Formação São José, que aconteceu no dia 28 de março de 1980, com a presença de Dom Francisco Manuel Vieira, Padre Martin Segu Girona (coordenador da casa), padre Aurélio Vieira de Moraes (auxiliar na formação dos Seminaristas), sacerdotes, as irmãs Pias Discípulas (que começaram a trabalhar na Casa de Formação) e os primeiros seminaristas que lá moraram, dentre eles: Claudemir José dos Santos, Cláudio Gabriel dos Santos, José Maria Falco, Luiz Gonzaga de Santana, Paulo Ferreira Pimentel e Sebastião dos Reis Miranda (todos membros do nosso clero atual).

No mês de junho deste mesmo ano, a Matriz Santo Antônio (hoje Catedral), comemorou o seu cinquentenário como paróquia, erigida canonicamente no ano de 1930, por Dom Duarte Leopoldo e Silva e inaugurada a nova Matriz em 29 de março de 1931 – Domingo de Ramos – com Missa Solene. Em julho, pela ocasião da visita de Sua Santidade, o Papa João Paulo II ao Brasil, no estádio do Maracanã, no dia 2, ordenou 74 sacerdotes, sendo 1 deles do nosso clero diocesano, padre Eliseu Antônio de Camargo (falecido em 03/06/1991).

Em 20 de março de 1981, foi comemorado o 1º aniversário da Casa de Formação São José, com a presença de Dom Paulo Evaristo Arns, Dom Francisco e os agentes de Pastoral da Região Episcopal. Neste mesmo ano, no mês de junho, nossa Região Episcopal, a partir de uma Assembleia Regional acontecida em Barueri, que escutou os setores, paróquias e comunidades, colaborou com a implantação do 3º Plano Arquidiocesano de Pastoral de São Paulo. No dia 22 de novembro, no salão da Igreja São João Batista, em Barueri, aconteceu a 1ª Assembleia Regional de Catequese, tendo a presença de Dom Francisco que realizou a abertura e manifestou o desejo de um Centro Catequético; a Assembleia teve 203 presentes dos 4 setores de pastoral da nossa Região Episcopal que contava com 38 paróquias.

Em 1982, tivemos a 1ª Visita Pastoral de Dom Francisco na Região Episcopal Osasco, que iniciou-se no dia 26 de fevereiro, às 20 horas, com Santa Missa, presidida por ele e concelebrada por quase todos os padres da REO, na Matriz Santo Antônio. Também estavam presentes religiosas de várias congregações e seminaristas (diocesanos e passionistas). Por desejo e incentivo de Dom Francisco, foi criado o CECREO (Centro Catequético da Região Episcopal de Osasco), com sede na Matriz Santo Antônio, com o objetivo de oferecer “treinamentos” para catequistas e organizar subsídios para a Catequese.

No dia 28 de maio de 1983, em sessão solene, a Câmara Municipal de Ibiúna conferiu a Dom Paulo Evaristo Arns, nosso Arcebispo Metropolitano o título de “Cidadão Ibiunense”: “A alegria e a honra deste acontecimento na comunidade católica de Ibiúna são extensivas a toda a nossa Região Episcopal” (BIO Jun./1983). Na solenidade de Pentecostes de 1983 findou-se a Visita Pastoral de Dom Francisco a toda REO, e uma das conclusões a que se chegaram, a partir da visita, foram a criação dos Setores de Pastoral de Carapicuíba e Cotia (ambas com 4 paróquias), para melhor unir e organizar os trabalhos de pastoral dos agentes junto aos sacerdotes, evitando assim as grandes distâncias geográficas.

Em 1984 tivemos as primeiras ordenações sacerdotais dos seminaristas da Casa de Formação São José, sendo eles: Pe. Luiz Gonzaga de Santana, da Vila Cretti – Carapicuíba; Pe. Paulo Ferreira Pimentel, do Jd. Piratininga – Osasco; Pe. Sebastião dos Reis Miranda, do Jardim Tereza – Osasco e Pe. Joaquim de Souza Lima, da Vila Dirce (Carapicuíba). Neste ano também nossa Região Episcopal, juntamente com a Arquidiocese de São Paulo, participou do projeto “Inter-ajuda” à Arquidiocese de Fortaleza, auxiliando financeiramente as vítimas da seca, como gesto concreto da Campanha da Fraternidade de 1984, proporcionando cisternas, cacimbas, cercados de roçado, entre outros; por essa iniciativa plausível nossa região recebeu a visita de Dom Geraldo Nascimento, bispo auxiliar de Fortaleza, em 1985, que veio agradecer o comprometimento e a ajuda para com a comunidade de Chorãozinho (CE).

Em 1986, com a ida do Pe. Martin Segu para Roma estudar, Pe. José Maria Falco assumiu a reitoria da Casa de Formação São José, ficando até o ano de 2003.

Nesta década foram criadas 4 paróquias, sendo elas: 1984: São Roque (Carapicuíba), Nossa Senhora da Escada (Barueri); 1987: São Francisco de Assis (Jandira); e em 1988: Santa Rita de Cássia (Carapicuíba).

No dia 15 de março de 1989, pela bula pontifícia Coram Ipsimet, o Papa João Paulo II (hoje santo da Igreja), criou a Diocese de Osasco, desmembrando-a da Arquidiocese de São Paulo, sendo o primeiro bispo Dom Francisco Manuel Vieira que há anos se dedicava a esta região. Com estas palavras Dom Francisco se expressou a respeito da nova missão que assumia como bispo diocesano: “…Agora dá uma sensação de que a cruz se torna mais pesada e eu preciso carregá-la e espero que a solidariedade dos meus irmãos bispos, dos sacerdotes e principalmente do povo consciente por esta necessidade de renovação me auxilie a carregar esta cruz.” (BIO/ Junho de 1989).

Em março de 1980, com a edição remodelada, foi apresentado para a Região um “logotipo” chamado na época de símbolo (BIO – março/1982), que melhor identificasse o Boletim, neste símbolo vemos: a letra “R”: de Região, a letra “E”: de Episcopal e a letra “O” representada por uma engrenagem simbolizando a Região dos Trabalhadores. A mão significa a acolhida da Região Episcopal aos Trabalhadores.

Seminarista Thiago Jordão – Equipe BIO

Leia também: Dom Paulo Evaristo cria a Região Episcopal Osasco

Fonte: BIO - Boletim Informativo de Osasco