Highslide for Wordpress Plugin

Formação: Quarta-feira de Cinzas

Foto: Internet

 

“Não te esqueças que somos pó e ao pó vamos voltar!” (cf. Gn 3,19)

Com a imposição das cinzas, iniciamos a Quaresma, tempo que nos prepara espiritualmente para vivenciarmos com dignidade o Mistério Pascal de Cristo, que é a sua Paixão, Morte e Ressurreição, ápice de nossa fé cristã. “As cinzas nos lembram a nossa condição original: somos feitos de pó, porém pó modelado pelas mãos amorosas de Deus que soprou Espírito de vida em nós. Vivenciar a Quaresma é ansiar por este sopro de vida que Deus não cessa de nos oferecer na lama de nossa história” (Pp. Francisco)

“A Quaresma é tempo de compaixão, para podermos dizer como no Salmo 50: ‘dai-nos Senhor a alegria da vossa Salvação, sustentai-nos com um espírito generoso’” (Pp. Francisco), por isso que no início da Quaresma recebemos as cinzas, para lembrarmo-nos que somos mortais, chamados constantemente a uma mudança radical de vida. Esta mudança, chamada conversão, nada mais é do que um voltar-se para Deus, principalmente neste tempo santo, em que somos convidados a fazermos jejum, orações e práticas de caridade.

As cinzas são oriundas dos Ramos abençoados na Semana Santa do ano anterior, lembrando-nos que a conversão se dá cotidianamente. A imposição das cinzas em nossa cabeça assume um duplo significado: o primeiro é relativo à mudança interior, à penitência, à conversão, como supracitado; já o segundo significado recorda-nos a precariedade da condição humana, somos “passageiros”, sujeitos à morte, porém, se aceitarmos fazer um processo, um caminho com Cristo, nos tornaremos vitoriosos com Ele, por Ele e n’Ele.

Em resumo, a Santa Igreja nos indica, na oração recitada por seus ministros, o significado da celebração da quarta-feira de cinzas: “Ó Deus, que não quereis a morte do pecador, mas a sua conversão, escutai com bondade as nossas preces e dignai-vos abençoar estas cinzas que vamos colocar sobre as nossas cabeças. E assim, reconhecendo que somos pó e que ao pó voltaremos, consigamos, pela observância da Quaresma, obter o perdão dos pecados e viver uma vida nova à semelhança do Cristo ressuscitado.”

Como de costume, em todos os anos, a Igreja do Brasil vive durante o tempo quaresmal a Campanha da Fraternidade (CF).
Neste ano o tema da CF é: “Fraternidade e Superação da Violência” e o lema : Vós sois todos irmãos” (Mt 23,8).

Programemo-nos com nossas comunidades paroquiais para participarmos da Santa Missa de abertura da Campanha da Fraternidade em nossa diocese, a realizar-se no dia 16 de fevereiro às 20h na Catedral Santo Antônio. Somos todos convidados para este momento!

Tenhamos à mente a frase de São João Paulo II: “Santo é um pecador que nunca desiste!”

Não desistamos de alcançar a santidade, não desistamos de alcançar os céus. Façamos propósitos para esta Quaresma: procuremos algum sacerdote, confessemos os nossos pecados, participemos da Santa Missa, busquemos os Sacramentos da Igreja. “Eis o tempo de conversão!”: Uma Santa Quaresma a todos.

Fonte: Seminarista Thiago Jordão - Ano Pastoral